quarta-feira, 3 de agosto de 2016

A grande volta.


Daí que eu senti vontade de blogar. Senti a necessidade de escrever.
Enzo completou seu primeiro aninho em 11 de junho e teve comemoração. Foi tudo muito simples,mas foi o suficiente pra me fazer transbordar de alegria.
Na verdade Enzo sempre me enche de alegria.
Passamos por nosso primeiro susto. Enzo teve catapora que complicou e ficou internado. Foram dias terríveis onde clamei a Deus com toda fé que há numa mãe. Enzo foi internado por causa de uma celulite no olho que já indicava o agravamento da catapora, daí apareceu a água na pleura e no abdômen.  Era horrível ver meu bebê com toda aquela dificuldade para respirar. O hospital em que estávamos não tinha uti pediátrica,  então ele foi transferido para o hospital onde eu já havia ficado internada duas vezes. Lá ele foi direto para a uti pediátrica, pois talvez precisasse drenar o líquido. Graças a Deus não foi preciso. Ao todo foram 7 dias de internação. Não consegui desgrudar dele nem um só dia.
Hoje está próximo do Enzo completar 14 meses e hoje ele aprendeu falar "água".
É lindo ver o desenvolvimento do meu amor.
Ele é muito mais agitado e nervoso que o Isaac era nessa idade. Enzo vira nosso rosto em direção ao rosto dele, ele bate, grita, joga as coisas. Essa casa não tem monotonia.
É bem menos carinhoso que o Isaac, mas tem dias que fica todo derretido de amor e chega a sufocar com seus beijos,abraços e carinhos.

Isaac

Meu pitico tá enorme, já fez 5 aninhos. Ainda não lê, tem muita dificuldade para aprender as letras. Notei que as minhas internações mexeram muito com ele. Percebo um grande atraso em relação à turminha dele. Ele tem dificuldade de relacionamento, mas na igreja é outra criança e quando se trata das coisas de Deus também. Ele exige nosso culto doméstico todos os dias, faz questão de escolher o louvor que vai ser cantado, escolhe a passagem bíblica e faz a oração final. É muito curioso em relação à Bíblia.
Ele continua apaixonado por cinema.

Eu
Eu continuo na luta. Sempre naquele verso de Cazuza: "Dias sim, dias não..."
Muitas consultas, muitas doenças, muitos exames, mas sobrevivendo. A cada ida ao médico uma surpresa. Algumas boas, outras nem tanto... mas ainda tenho o privilégio de estar nessa terra junto dos que amo.
No fim, estamos todos vivendo.

Beijos

sábado, 21 de novembro de 2015

Enzo, o amor em pessoa.



Oi amores.

Sei que prometi contar meu testemunho aqui, mas tenho tantas coisas guardadas dentro de mim que tô louca pra contar.

O testemunho já está escrito impressões para que o Enzo possa ler daqui a um tempo,assim como Isaac poderá ler.

Como já disse antes, minha gravidez foi uma grande surpresa e um grande milagre. Realmente não esperava ficar gravida.Tive muito medo, o desespero tomou conta de mim,mas depois resolvi curtir.Se Deus tinha operado o milagre e a estéril seria mãe de mais um filho, só me restava crer que Ele cuidaria de nós. A barriga ia crescendo e eu amando cada vez mais até q a HAP apareceu e mudou tudo. Ela tirou todo o brilho natural da maternidade.Naquele momento eu só enxergava as dificuldades. Só via as internações, pra mim parecia um castigo...

Hoje ,depois que a tempestade passou, vejo tudo com mais clareza.

Um mundo novo se abriu pra mim com a chegada do Enzo. Fui a lugares que não imaginava ir, conheci muitas pessoas e histórias.Pude compartilhar minha vida com desconhecidos, vi o quanto somos dependentes e o quanto o ser humano é frágil.

Na primeira internação já comecei a perceber que o ser humano não é tão cruel quanto parece.Percebi o quanto existem médicos realmente preocupados e o melhor de tudo, percebi o quanto Deus me ama e fez questão de andar comigo em todos os momentos. Antes me sentia Rejeitada pelo Senhor, me sentia esquecida. Meu sonho era ter uma gestação tranquila,poder preparar as coisinhas do meu baby, assim como fiz na gestação do Isaac, mas hoje compreendo que a gestação turbulenta me levou a lugares que uma gestação tranquila não me levaria.

Tudo que passei serviu pra produzir e exercitar a fé em muitas pessoas. Eram muitas as pessoas que se envolviam no meu caso. Isso fez com que Enzo e eu fossemos amados de uma maneira sobrenatural. Eramos alvo de uma corrente de fé e esperança que envolvia muitas pessoas, de várias religiões e de vários lugares.Muitas dessas pessoas eu nem conheço o rosto e acho que nunca vamos conhecer, mas o importante é que experimentei o amor na sua mais pura forma. Sim! somos amados!

Costumo dizer que Enzo nasceu com o bumbum virado pra lua, esse menino é muito abençoado.
Ele tem uma saúde de ferro,ganha tantas demonstrações de amor, demonstrações até de pessoas duronas que eu nunca esperava que ficassem tão derretidas pelo meu gordinho e também ganha muitos presentes. Muitos presentes vem de pessoas que nem conheço.

Antes eu estava cega e amedrontada, só conseguia ver a tragedia que minha vida tinha se tornado. Hoje consigo ver quanto amor estava envolvido naquela gestação, antes olhava pra trás e chorava. Hoje vejo que Deus estava muito próximo de mim, vejo o quanto ele foi cuidadoso, vejo o quanto nos amou. Antes eu só me perguntava o por quê daquilo tudo, achava que Deus havia me esquecido. Hoje vejo o fruto maravilhoso,vejo que minha gestação foi além da gestação. Aos poucos meus olhos estão se abrindo e todo trauma vai ficando pra tras e vou construindo uma nova história.


ENZO,
Você foi um divisor de águas na vida da mamãe. Me faltam palavras pra expressar quão grande amor esteve envolvido na sua gestação. O amor em todos os aspectos foi fortalecido.

Seu papai mostrou o quanto nos ama durante toda a nossa jornada.Que amor tão grande experimentamos vindo do nosso herói!
Foram 6 internações e em todas ele esteve conosco. Ele ia trabalhar e,mesmo cansado, ele ia nos visitar. Ele sempre fazia questão de estar conosco e ele sempre aparecia com aquele sorrisão,fazendo piada de tudo e nos mostrando que estávamos bem e que ele sempre estaria conosco.
 Nessa caminhada íamos arrebatando vários corações, a cada internação nós ganhávamos mais amigos que oravam e torciam por nós. Lembro que no Pasteur uma enfermeira chamada Lina segurou minha mão durante minha crise de choro e ela chorava comigo e me falava palavras de consolo. Na segunda internação ela tbm foi cuidar de nós com muito amor. Era possível sentir o amor que fluía nela. Lembro tbm do amor dos médicos e de várias outras enfermeiras.
Sua gestação fez com que muita gente experimentasse em si um amor que não imaginavam ser possível. Juntamos amigos em várias partes do Brasil.Eu recebia ligações e mensagens de tanta gente... Foi muita gente cuidando de nós.
Sua gestação se resume em uma só palavra: AMOR.
Vc é luz nesse mundo, e agradeço a Deus por poder ser sua mãe.

Depois do nascimento do Enzo só pude vê-lo qndo ele completou 15 dias de vida, depois disso eu só voltei a vê-lo quando estava com quase 1 mês de vida.Isso me gerou traumas que pensei que nunca sumiriam. Cheguei em casa e encontrei um bebê muito bem cuidado e que não tinha sido cuidado por mim.Eu nunca tinha trocado uma fralda do Enzo, nunca tinha o alimentado em meu seio, nunca tinha dado um beijo de mãe nele. Em meio a depressão eu sentia que ele não me pertencia. Ele podia ser de qualquer um, menos meu. Um sentimento de não saber onde estava tomou conta de mim. Era misto de medo da rejeição com medo de morrer que tomava todo meu ser. Entrei numa paranoia e só gritava que queria voltar pro hospital,queria morrer longe do Enzo. Eu não queria ser rejeitada por ele e tbm não queria que ele se apegasse a mim,já que eu estava condenada à morte. Foram dias terríveis ,mas o AMOR se manifestou mais uma vez. Fui cercada de muito carinho e aos poucos fui superando a depressão e os medos. Depois de poucos dias de luta,Enzo era finalmente meu. Eu sentia que era meu,mas onde estava o meu amor por ele?

Eu me sentia culpada, parecia que eu tentava fugir do amor,mas tive muito apoio da minha psicóloga. Ela sempre tentava me tranquilizar dizendo que o trauma que eu passei tinha sido grande,mas que tudo isso ia passar, eu só precisava me sentir menos culpada e viver um dia de cada vez. Mas quem teve depressão pós parto sabe o que é se sentir um monstro por não conseguir amar seu filho. Eu me sentia suja e perversa. Me culpava, achava que era melhor morrer do que viver daquele jeito. Aos poucos fomos construindo o amor. Enzo me olhava com aquela cara de "preciso de vc" , aquela carinha tão irresistível... Logo me apaixonei!!!

Ele me sorria um sorriso tão gostoso qndo acordava de manhã, era um misto de bom dia com eu te amo. Logo me rendi e comecei a experimentar a maternidade pós parto. Maternidade tardia. Um amor interrompido por longos 26 dias de afastamento e que teve que ser reconstruído tijolo por tijolo, coisa que só é possivel com muito amor.

Com Isaac eu lutava todos os dia pra ser uma super mãe,já para o Enzo sou super mãe desde a gestação. Tudo que passamos prova pra mim o quão super mãe eu sou. Não me cobro tanto qnto antes, mas luto todos os dias contra a HAP e tenho a certeza que sou a melhor mãe que Enzo poderia ter.

O amor juntou meus caquinhos,colocou no forno pra derreter e me moldou novamente pra que eu vivesse a maternidade sem fissuras. Hoje não me sinto vitima em relação a gestação. Antes eu tinha uma lacuna que me causava dor. Era como se eu tivesse visto minha gestação de longe, de fora. Eu me vitimizava a todo instante. Não conseguia ver a grandeza que envolvia a gestação do Enzo.

De tudo isso, o que eu aprendi foi que durante a tempestade tudo fica tão cinzento que nos faz achar que Deus nos virou as costas, mas com o tempo as nuvens cinzas vão se afastando e nos permitindo ver a verdade. A pressa e a ansiedade fazem com que as nuvens demorem mais a passar.
Por isso, em meio a depressão é necessário fazer terapia e fortalecer a fé. Essa é a receita pra viver dias melhores e plenos.










sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Estou viva!!!

Amores, Enzo já  fez 3 meses e é uma bolinha. Tá lindão meu bebe.
Eu  sigo fazendo tratamento com reumatologista,pneumologista, cardiologista e psicologo, não está sendo fácil, afinal, foram 37 dias de internação,mas tbm não é nada impossível. Infelizmente tenho um combo de doenças ainda incuráveis, mas creio num Deus de  milagres.
Nos próximos posts vou contar tudo que me aconteceu desde o começo e peço que vcs linken em seus blogs pra que pessoas que passaram pelo mesmo possam ter sua fé renovada. Foi tudo muito intenso e pode servir pra alguem.
Hj só vim mostrar minha riqueza pra vcs.

Bjs  e até logo.


domingo, 28 de junho de 2015

Enzo nasceu!

Amores, ainda nao tenho condições de escrever um relato de parto. Só estou passando pra avisar mesmo.
Enzo nasceu dia 11/06/2015, às 17:07 h de parto cesáreo.
Nasceu com 2,470kg e 51 cm de 34+6 semanas de gestação.
Enzo recebeu alta hospitalar  com 15 dias de vida, pois estava aqui no hospital esperando q eu fosse encontra-lo pra começar a amamentar.
Infelizmente isso nao aconteceu. Desde o nascimento do Enzo estou internada no CTI cardíaco por conta da hipertensão pulmonar. Até hj nao pude ser mae do Enzo. Conheci meu filho e o peguei no colo pela primeira e única vez no dia de sua alta, com 15 dias de nascido.
Por enquanto SÓ gerei Enzo. Nao sei nada do meu filho. Ele esta em casa com minha mae e meu marido e eu nao tenho previsão de alta.
O parto foi emocionante, assim q tiver em condições conto tudo.
Agora meu maior desejo é ser mae do Enzo.
Fazem 17 dias q nao vejo Isaac.
Bjs